retro vejo

Pitadas de pimenta na vida insossa das suas mãos cheias de marcas d’água. Você acha que transgressão é mijar no acostamento da estrada enquanto eu tenho febre no banco do passageiro porque estou há quase duas semanas sem saber o que é dormir direito.

Eu não me encaixei na sua vida de lutar para me convencer que sou uma pessoa decente. Eu venho em ondas como brisa de cogumelos. E fodo o caminho pelo qual passo, seja pela euforia ou pela depressão, não tenho métodos para me abortar quando sou incendiado.

Eu admiro o Vesúvio em erupção petrificando as pessoas em seus pequenos momentos. Não precisamos de dinheiro para morrer, muito menos de sábias palavras cunhadas com facas sem corte na pele.

Eu estou longe do meu melhor, mas tenho as mais ousadas experiências. Você está buscando o seu melhor e eu devo ter sabor de lítio na memória eufórica dos seus lábios.

Olhe para o retrovisor. Se me encontrar lá é possível que você ainda possa me tocar e não apenas se assustar com meu espírito lhe causando espasmos musculares em um sonho lúcido de uma noite de tormenta.

Estamos todos perdoados pelas culpas, medos e trocadilhos que atropelamos em nosso caminho divinalmente satânico.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s