azarão

Eu não entendo essa sua impaciência de parecer decente para quem você diz que tanto odiou.

Eu faço rimas para falar com reticências, mas descontextualizo o ritmo que você me demarcou.

Eu tenho tropas de palavras odiosas, porém minha guerra surda não é mais contra ninguém.

Faço apostas em várias plataformas, só para mostrar que na sorte ao menos reluto bem.

No entanto, são pretensões mentirosas, não quero mais nada além de ser alguém lá no além.

É sadismo falar tão profundamente, já que a pipoca que você come já não está na minha mão.

Cismo astral quanto ceticamente, meu tamanho não é de um gigante e tampouco de um anão.

Apostei contra todas estatísticas, mas nada melhor que se frustrar com o azarão.

Patrocino desigualdades no jogo da vida, mas a faísca da ironia ainda está lá, amigo.

Postulantes à ascenção, derivados da queda e temerosos de castigo.

Um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s