poeta em ascensão

eu que não sofri calado
agora que vislumbro
algo maior que minha dor
não poderia também
ficar silente

eu que fiz palavra
virar amor
amor virar
borderliner
meu caos
virar internação

costurei depois
o corpo dos meus versos
em uma solitária
autonecropsia

e igualmente verso
o retratos dos
complexos caminhos
que me levam
a ter alguma
quietude

além,
do meu
fúnebre caixão
de centenas de poemas
apagados de suas lápides
e dezenas de cicatrizes
que deixo de sangrar
pois constituem
a beleza de ser
um poeta em ascensão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s